domingo, 16 de novembro de 2008

Momento didático - "não há nada entre eu e você, portanto, deixe isso para mim fazer"

Essa é das brabas. Qualquer um comete essa gafe (eu também). E a explicação é tão simples quanto complexa. Mim faz, oras ! Mas mim não sou índio. Nossa, que emboloração...vamos descomplicar.

"Mim" ou "eu", eis a questão. Quando e como usar ? É simples : "eu" é pronome reto, "mim" é pronome oblíquo. Ainda está grego, eu sei. Só que "mim" nunca exerce função de sujeito e deve ser antecedido por preposição : A mim, DE mim, ENTRE mim, PARA mim, POR mim...e na frase citada no título desta postagem tem um "para mim", não tem ? E está errado ? Sim ! Porque há um verbo depois, o "fazer". "(...) deixe isso para mim fazer".

Não deixo ! Ao pé da letra, o correto seria : "deixe isso para mim". Ponto. Sem verbo depois. Termina no "mim". Mim não faz mais nada. Se tiver verbo depois de "mim", nada de "mim", mas sim "eu" ! E é neste ponto que o pronome "eu" certifica o seu acerto na fala : "deixe isso para EU fazer". Repararam no "fazer" depois de "eu" ? É o verbo que concorda com o pronome "eu".

Veredicto : a diferença entre "para mim" e "para eu" está na presença ou não de um verbo (sempre no infinitivo) após o pronome ! Mais um exemplo para ilustrar a correção : "Este bilhete é para mim". Correto. "Este bilhete é para eu ler". Correto ! Nada de "este bilhete é para mim ler". Desta vez, o verbo em questão é o "ler". Resumindo : usou o "mim", coloca o ponto final. Nada de verbo depois ! Se quiser usar verbo, então coloque o "eu" antes.

O mesmo conceito funciona para "entre eu e você", que, por mais estranho que pareça, está errado. Pois é. Cadê o verbo depois de "eu" ? Não tem. Não havendo verbo, devemos sempre usar "entre mim e você". E não adianta teimar : "não há nada entre mim e você" e pronto. Colocou verbo ? Aí sim : "não há nada entre eu sair e você ficar em casa", por exemplo. Difícil, mas simples. Tem verbo, use "eu" antes. Não tem verbo, use "mim".

"Não há nada entre mim e você, portanto, deixe isso para eu fazer". Agora sim, tudo certinho !
"Entre eu e você" está sempre errado. Se você achou a forma correta estranha - "não há nada entre mim e você" -, então só resta uma solução : "a partir de hoje, não haverá mais nada entre nós".

Eita, português ! Idioma ramificável, passível de alterações. Sempre há uma outra saída.


Abrátzo

4 comentários:

Guilherme Giuntini disse...

É o portugues tem suas variedades de palavras com signifacos diferentes. Mim e Eu existem diferenças, aprendi isso na facul ahuauhauhauhhua.. belo post, é sempre bom revelar as lombadas que o brasileiro enfrenta não só na vida como trabalhador, mas tambem como um brasileiro fala errado.. mio dio..

Belo post Brands..
vc vai resumir meu tcc ahuahuuhauhahuauh

arbraço..

JR disse...

E ae Brunão Blz, sou o JR ou Zhaphirus, que comprou gears 2 lá na fnac.. Show seu blog...

Depois acessa o que faço parte, Abração.

www.consolesejogosbrasil.blogspot.com

Fred disse...

Muito bom Brunão. Muito bom seu blog, está de parabens. Nos deparamos constatemente com essas "bombas". Acabei de ouvir um "seje" aqui agora de um funcionário que pqp! hahahaa

Abração

Jorge Pakkii disse...

ahuahuahuhauhauhau, muito bom cara!

Eu tenho certas dúvidas sobre o uso dos pronomes "lhe" e "te". Um dia faça um desses "Momentos didáticos" sobre isso. =D